Review – Concrete Genie

Velho Também Joga – Review: “Concrete Genie”

Salve pessoas velhas de todas idades, estou aqui novamente em mais um “Velho Também joga”. Desta vez o jogo escolhido é “Concrete Genie”. Uma verdadeira (spoiler) pérola escondida na biblioteca de jogos que já foi dada na PSN Plus (Fevereiro de 2021).
Novamente será um review sem spoilers, então pode ler tranquilo.

Billboards

Velho Também Joga – Review: “Concrete Genie”. Imagem por “Sony/Pixelopus”.

“Concrete Genie” foi desenvolvido pela Pixelopus, e conta a história de Ash, um garoto que vive em uma pequena cidade portuária chamada Denska. A cidade está em total decadência desde que um vazamento de óleo atingiu a região. Ash é um adolescente, sofrendo com bullying e passando suas tardes desenhando em seu inseparável caderno de arte. Tudo que vai mal ainda pode piorar, então um dia os bullies acabam destruindo o caderno do protagonista, que ainda é despachado, involuntariamente, de bondinho para um farol afastado da cidade. Neste local ele conhece Luna, um dos seus desenhos que ganhou vida, que explica para ele que este vazamento é chamado de Escuridão e que ele precisará de ajuda para eliminar isso da cidade. Para esta tarefa ele dá um pincel mágico para Ash e é aí que começa nossa aventura.

Além de eliminar a escuridão e resgatar a história da cidade com suas pinturas, você vai descobrindo o que aconteceu para toda esta decadência. Você também vai descobrindo a histórias dos bullies. Este é o aspecto que considero mais interessante, porque pensando no público-alvo, isso ganha uma importância por mostrar que todos temos uma história e passamos por problemas, sendo que a diferença é como reagimos ao que nos acontece.

A história do jogo parece bem simples e direta ao ponto, mas na verdade tem mais coisas do que estão ali na superfície. Isso é admirável, ainda mais por ser um jogo voltado para o público infantil. Por todo esse quentinho no coração que a história traz, lá se vão 3,5 bengalinhas.

Velho Também Joga – Review: “Concrete Genie”. História: 3,5 bengalinhas.

Landscape pages

Velho Também Joga - Review: Concrete Genie
Velho Também Joga – Review: “Concrete Genie”. Imagem por “Sony/Pixelopus”.

Fico com sentimentos distintos para falar da jogabilidade de “Concrete Genie”, porque apesar de que ela funcionou muito bem por grande parte do jogo, existe um momento que temos uma mudança e senti que neste momento ela já não era eficiente, mas vamos por partes.

Primeiro temos que falar do sistema de pintura que me agradou muito. O jogo te dá a opção de usar os sensores de movimento do DualShock 4 ou usar o direcional para isso. Testei ambas as opções e me agradaram, mas como não sou fã destes sensores de movimento acabei seguindo com o tradicional uso do direcional. Não senti em momento algum que isso estava diminuindo a minha experiência ou me trazendo dificuldades extra. Tudo funcionou muito bem e me senti um verdadeiro artista.

Já a parte “Assassins Creed” do jogo não foi tão bem. Explico, Ash é bem habilidoso e além de caminhar pela cidade ele também pode pular muros, escalar telhados e atingir lugares bem altos, mas eu senti que os comandos não eram tão precisos quanto os usados para desenhar. O jogo é bem simples e você praticamente não morre sem ser por quedas muito altas e mesmo quando isso ocorre o ponto de retorno é o local que estava antes de cair, então não chega a criar uma frustração. O meu problema começou quando o jogo tem uma virada, que não vou entrar nos spoilers, que influencia a jogabilidade. Neste ponto os comandos não foram tão funcionais, gerando um pouco de dificuldade para me adaptar. Nada que diminua minha experiência com o jogo, mas ainda assim vale mencionar.

O level design do jogo é bem simples, com a cidade de Denska construída de uma maneira que você consiga circular pelas missões sem ter que ficar passando por locais repetidos. A arquitetura da cidade também permite que você caminhe por praticamente todos os locais, fazendo com que seja bem gostoso buscar cada uma das páginas do caderno de Ash. Após a virada que ocorre no jogo, o cenário também se mostra bem funcional para a nova habilidade que o jogador aprende.

Velho Também Joga – Review: “Concrete Genie”. Jogabilidade: 3,5 bengalinhas.

Artbook pages

Velho Também Joga – Review: “Concrete Genie”. Imagem por “Sony/Pixelopus”.

Primeiro de tudo, apesar de ser um jogo para PS4, você não vai encontrar gráficos ultrarrealistas de última geração, vai encontrar coisa muito melhor e mais preciosa, vai encontrar originalidade e uma direção de arte inacreditável que combina diferentes elementos para formar um dos jogos mais bonitos do videogame. Se achar que estou exagerando eu recomendo que, além de ver as fotos deste post, veja os vídeos do jogo no YouTube.

Os personagens humanos são desenhados de maneira estilizada muito bacana e tomou-se a decisão de que seus olhos, bocas e expressões sejam todas desenhadas como personagens de um desenho. Sim os rostos são como telas em branco só esperando o desenho das expressões. Não me lembro de ter visto isso em outro jogo, mas se vi e esqueci, já não deve ter sido tão marcante quanto foi aqui.

Além dos humanos nós temos também os Gênios, desenhados por Ash, que ganham vida ao longo do jogo. Estes gênios são personagens 2D preso às paredes da cidade e que ainda assim interagem o tempo todo com o personagem principal e outros itens do cenário. Suas cores vibrantes se destacam totalmente nos cenários tristes e sem luz da cidade. Fora o fato de cada um ter a sua personalidade, tem o fator que você é quem os cria! Eu me peguei testando diferentes formatos para cada um dos gênios que tinha que fazer e conforme ia desenhando ficava curioso para saber como eles ficariam ao ganhar vida. SENSACIONAL.

Além dos personagens humanos e gênios, temos também a cidade e suas paredes sem vida. Caberá à Ash, e ao jogador, mudarem isso. E que delícia sair pintando cada pedacinho da cidade. Eu, que não consigo desenhar um círculo, me sentia um verdadeiro artista e perdia sessões de jogo sem evoluir a história, ficava apenas tentando deixar a cidade mais bonita. Cada vez que você recupera uma página do seu livro, ganhando uma nova arte para fazer, me dava vontade de parar e testar. Se fosse algo que combinasse com temas que já pintei eu VOLTAVA e complementava artes que eu já havia feito. Me encantava com as cores, formas e luzes. Não tem como dar menos do que 5 bengalinhas para este quesito de “Concrete Genie”.

Velho Também Joga – Review: “Concrete Genie”. Gráficos: 5 bengalinhas.

Sketchbook pages

Velho Também Joga – Review: “Concrete Genie”. Imagem por “Sony/Pixelopus”.

Por último, mas não menos importante, temos a parte sonora do jogo e, apesar de não ser tão fantástica quanto a visual, ela não compromete.

Todo o trabalho de dublagem é muito bem feito, conseguindo complementar o trabalho artístico dos bonecos 3D e suas expressões desenhadas. Joguei em português e está tudo muito bem feito. Em português Ash é dublado por Pedro Volpato, já os bullies são dublados por Luiza Porto (Beatrice), Mariana Zink (Zack), Lipe Volpato (Chuck), Flora Paulita (Janie) e João Vitor Mafra (Croki). Além deles temos também Angélica Santos e Glauco Marques dublando respectivamente a mãe e o pai de Ash. Quero deixar meus parabéns para o trabalho de dublagem, com localização. Muito bom.

A trilha sonora, feita por Sam Marshall, é muito suave e agradável, não só acompanhando a história, mas já preparando o nosso sentimento para o que está pela frente.
Os efeitos sonoros são bem-feitos e bem criativos. As páginas fazem sons para que você consiga localizá-las, os gênios não só possuem sons próprios e possuem maneiras de chamar sua atenção. Apesar da pouca vida da cidade abandonada, ela também tem seus sons para ganhar um pouco de vida. O problema é que em alguns momentos eu sentia que ficava tudo muito poluído, principalmente quando haviam muitos elementos de arte e gênios envolvidos. Tenho a impressão de que o engenheiro de som poderia ter trabalhado com os programadores para garantir que isso não ocorresse. Imagino que se alguns sons fossem removidos, nestes momentos de excesso, o jogador nem perceberia e deixaria tudo mais harmônico.
A parte sonora do jogo merece 3 bengalinhas.

Velho Também Joga – Review: “Concrete Genie”. Som: 3 bengalinhas.

Genie Moments

“Concrete Genie” foge do lugar comum ao trazer uma aventura infantil digna da sessão da tarde. O jogo possui uma jogabilidade que encaixa muito bem com a temática proposta, com uma trilha sonora e level designs simples, mas funcionais. Os personagens são cativantes e passaram por um processo de dublagem caprichado, fazendo com que você acredite e se importe com eles. A história, voltada para o público infantil, não irá incomodar os adultos que jogarem, pelo contrário eles devem gostar. Acontece que o destaque mesmo fica para toda a direção artística do jogo, fazendo com que ele seja imperdível. É destes jogos que merecem ser jogados por todo mundo que gosta de videogame. Nota 4,5 bengalinhas.

Velho Também Joga – Review: “Concrete Genie”. Nota: 4,5 bengalinhas. *Não é uma média das notas.

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.